Você é ou você está?

Quantas vezes você falou, mesmo que de brincadeira, uma frase como “eu sou burro, não aprendo nada”, “eu sou gordo mesmo, vou comer”, “sou um caso perdido, não tenho solução”, “sou muito preguiçoso…” ou qualquer outra do gênero?

Várias vezes, não? Afinal, todo mundo fala….

Pois é, a grande maioria das pessoas fala assim mesmo e não tem ideia do que acaba gerando com essas simples palavrinhas. Cada vez que você fala desta maneira, afirmando ser algo, seu cérebro registra essa frase, assim como ele registra tudo o que você faz.

E você sabe que quanto mais você pratica um esporte, melhor você fica nele. Quanto mais você canta uma música, mais ela fica decorada na sua cabeça. Quanto mais você fala uma língua, mais fluente você fica nela. É assim que nosso cérebro funciona, criando caminhos neurais que são reforçados com a prática até que você não precise mais pensar para executar uma determinada tarefa.

Quando você começou a dirigir, tinha que pensar em cada ação que ia executar, certo? E de repente você se dá conta que já está dirigindo “no automático”, sem pensar, apenas fazendo. Pois é exatamente a construção de caminhos assim no seu cérebro que você está criando cada vez que repete uma dessas frases. A cada repetição fica mais gravado lá dentro da sua cabeça que, sim, você é burro, gordo, preguiçoso ou o que quer que seja.

Pois aí vem a minha reflexão para você, sobre a diferença entre ser e estar.

Ser burro significa que você nunca conseguiu aprendeu nada e nem vai conseguir aprender. Estar burro significa apenas que nesse momento você não está conseguindo aprender e talvez precise de uma maneira diferente de estudar. Ser gordo significa que você sempre usou manequins grandes e seguirá a vida se sentindo apertado nas roupas. Estar gordo significa apenas que nesse momento você está acima do peso e pode mudar isso iniciando uma dieta e prática de exercícios.

Ser implica em identidade, estar implica em estado atual.

Ser é imutável; estar é passível de mudança.

Para cada aspecto negativo que você está nesse momento, tenho certeza que existe algo que você é de verdade que pode combater esse estado. Se você está preguiçoso, você pode ser determinado e sair desse sofá. Se você está desempregado, você pode ser criativo e achar uma fonte de renda alternativa. Se você está desanimado, você pode ser amado e ter muitos amigos para ajudar a passar por esse momento.

O que é mais fácil mudar? Sua identidade ou um estado atual? O que você vai gravar no seu cérebro?

Então, talvez faça sentido para você que a partir de agora não foque mais em ser algo negativo, mas sim positivo. Tome para si o que de melhor você tem, as suas características mais fantásticas, as que deixam você com orgulho. Não tem nenhuma? Ora vamos, claro que você tem! Quem sabe você apenas está sendo pessimista e um pouco míope em relação a você mesmo. Vamos mudar isso? Você é capaz!

  • Andreine Busnello é Coach e Facilitadora de Aprendizagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *