Quando mudar é imprescindível

Muito cedo, numa bela manhã de sol, ao acordar, ocorreu-me o pensamento: – Como será sua saúde nos próximos 10 anos? E por algum motivo acenderam¬-se algumas luzinhas internas e comecei a refletir sobre esta questão. Alguns dias se passaram e eu resolvi ir a fundo nos questionamentos internos. Foi quando comecei realmente a me dar conta de que tudo na minha vida praticamente dependia de minha saúde, no contexto atual de escolhas que havia feito anos anteriores.

Sou autônoma, por opção, trabalho no que amo, me programo no que posso, mas realmente tinha que mudar algumas coisas e o pensamento que tinha me dado um alerta naquela manhã fazia todo sentido. Na época eu estava com 109 quilos, com taxa de diabete muito elevada, dores nas articulações, coluna com protusão na lombar, indicação para cirurgia no joelho, tomando remédios para dor.

Neste momento, tomei consciência de que precisava de ajuda e fui buscar sessões de coaching para entender por que eu havia deixado as coisas chegarem naquele ponto, já que eu tinha um vasto conhecimento intelectual e trabalhava diariamente auxiliando pessoas. E durante o processo fui me dando conta do que eu havia permitido fazer comigo, ou seja, questões emocionais que eu achava que estavam resolvidas, como ser magoada demais, negligenciar uma alimentação mais saudável em função de algo mais rápido e mais prático, não ingerir água o suficiente para hidratar adequadamente o organismo, trabalhar muitas horas seguidas (em torno de 10 horas), sem me importar muito com lazer, tudo isso estava cobrando seu preço.

Ou seja, amava meu trabalho e tudo que o envolvia, porém esqueci de uma área muito importante da vida – a minha vida que envolvia tudo que não era trabalho. E tudo isso, aliado a alguns atos cometidos pelos pais e avós (na infância), que não fazem por mal (mas acaba prejudicando no futuro) foram se somando e o resultado acabou vindo.

Foram muitas tomadas de consciências e quando isso aconteceu começaram sucessivas “coincidências”. Fui a um médico para ver um sinal que começou a inflamar (cirurgia feita um ano e meio antes) e neste dia fui encaminhada para um cirurgião que era especialista em bariátrica. Achei aquilo muito incrível, pois eu não havia relatado nada a ninguém e muito menos para a médica que me direcionou ao especialista.

Quando procurei o cirurgião para resolver o problema do sinal, ele fez tudo que precisava em cinco minutos e após começamos a conversar sobre a bariátrica. Nesta conversa vieram outras constatações que me faziam acreditar que eu estava sendo realmente conduzida pela espiritualidade.

O Universo começou a me mostrar o que a sincronicidade faz em nossas vidas quando seguimos a intuição.

Foram cinco meses de intenso trabalho e mergulho no meu Eu. Precisei estar 30 quilos mais gorda para me dar conta de tantas coisas que fui deixando passar, não tendo um olhar mais atento para eu mesma. Em agosto de 2018 foi realizada a cirurgia bariátrica. Foi incrível, pois a conscientização me fez dizer não para muitos maus hábitos, não me negligenciar mais.

Anelise Lopes é Terapeuta, Coaching e Especialista em Gestão de Pessoas