O que aprendi no tiro com arco

Muito mais que um esporte, o Tiro com Arco pode ser considerado uma terapia. Uma terapia sobre relaxamento, foco, disciplina, postura e autoconhecimento. Uma espécie de forma prática e divertida de aplicar os conselhos e lembretes que recebemos, e que por muitas vezes esquecemos ao longo do dia e, até mesmo, ao longo da vida.

A prática em si é o mais evidente lembrete de como se comportar perante um obstáculo. O tiro com arco é o esporte que representa com primazia o elo entre um pensamento, uma atitude e uma ação. Assim como na vida, devemos pensar de forma positiva sobre os seus objetivos, sustentar uma postura ideal e executar uma ação clara para atingir o alvo.

Sabe aqueles momentos conturbados e difíceis, onde a melhor coisa é parar, respirar e às vezes até mesmo dar um passo para trás? Não pense que aquela sensação de andar para trás é ruim. Veja a flecha: uma flecha só pode ser disparada quando puxada para trás, para assim poder ser lançada com força suficiente em direção ao alvo.

Quem nunca ouviu um: “Calma, respira fundo”? Pois simples assim, talvez você tenha ouvido o melhor conselho para enfrentar situações difíceis. Por mais simples que esse conselho possa parecer respirar fundo envolve relaxar os ombros, oxigenar os músculos e o cérebro, diminuir o ritmo cardíaco, acalmar a mente e aumentar o foco – Tudo o que é necessário para atingir um alvo.

E se algo der errado durante esse processo? Tente novamente. Nunca devemos deixar de tentar. Mas tentar não é tão simples como puxar uma flecha em direção ao alvo e largar. Tentar é parar, respirar, admitir o erro, analisar, ajustar e planejar uma nova estratégia de ação e aceitar e executar mudanças.

Devemos pensar na flecha como uma palavra. E assim como uma palavra, uma vez dita, não tem volta. O que torna o tiro perfeito é o resultado de esforço e dedicação a cada detalhe de uma ação que se iniciou com respirar fundo. Detalhes que, por mais simples ou pequenos que sejam, podem mudar o rumo final da flecha.

Pensar de maneira negativa, encarar uma situação de forma derrotista, não escolher bem as palavras antes de dizer, encolher-se diante de um erro, são os tipos de detalhes que podem te tirar do rumo quanto aos seus objetivos. Em uma competição de Tiro com Arco, os arqueiros ficam lado a lado na linha de tiro. Em alguns casos, atiram juntos em um mesmo alvo. Mas, apesar de estarem competindo entre si, a competição deve ser consigo mesmo.

Cada arqueiro deve entender que só é possível ganhar se der o melhor de si em cada tiro, sem se preocupar com o público em volta ou com a pontuação do outro arqueiro – seu foco deve estar em si, sua atenção em seus movimentos e sua consciência em repetir todos os detalhes anteriores.

É nesse momento que devemos perceber que se olharmos muito fixamente lá na frente, podemos nos esquecer de sermos nós mesmos, ou podemos perder a certeza em nós mesmos, ou se colocarmos mais peso em etapas ou processos não essenciais, podemos colocar tudo a perder.

Podemos aprender muita coisa observando o tiro de outras pessoas, seus movimentos, seu equipamento e sua postura, mas em momento algum isso significa que aquilo dará certo para você. Devemos procurar aquilo que nos é confortável e que nos faça sentir bem. Afinal, cada um deve existir como é.

  • Beatriz Akemi é Biomédica e Instrutora de Tiro com Arco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *