Você já experimentou um “abraço gêmeo”?

Certa vez ouvi uma amiga separada do marido há muitos anos dizer-me: “Sinto falta de beijar na boca!”. Na época penalizei-me com tamanho desabafo, mas confesso não ter conseguido atingir a profundidade do sentimento de falta ao qual ela se referia.
Porém hoje, com mais tempo para pensar em mim, para interiorizar-me na busca do meu EU, e trabalhar debruçada na essência humana, percebi que também sinto falta, não de beijar na boca, mas sinto falta daquele Abraço!
Abraço em que o silêncio fala por si, aquele momento em que trocamos energia e nossos mais profundos sentimentos, sem nenhum preconceito.
Aquele abraço onde dois viram apenas um, os corações pulsam na mesma frequência acelerada, a respiração é profunda e lenta, mas grita alto em nossos ouvidos.
Segundos em que dois corpos ficam imóveis, colados, sentindo-se um ao outro, passando força e buscando apoio, transmitindo carinho e recebendo gratidão, exalando juntos um calor enorme, mesmo que em suas mãos o suor frio se faça presente.
Neste abraço, não há homem ou mulher, existem duas almas tentando transcender seus corpos em um reencontro divino.
Não sei, mas acho que não acredito em almas gêmeas, mas acredito que existem abraços gêmeos, momentos únicos e inesquecíveis.
Claro que tudo irá depender do que você busca quando está abraçando alguém e, o mais importante, o que você quer passar ao abraçar alguém?
Adoro abraços e adoro comer, vou tentar realizar aqui uma comparação entre ambos: alguns pratos sentimos revolta só de olhar, outros não nos dizem nada (você come apenas para matar sua fome), já alguns têm aparência e cheiro bons, mas existe aquele prato especial, que mesmo antes de começar a comer você já está em estado de graça e salivando!
O abraço é doação, é aceitação, é amar o outro. Abrace para doar sua energia positiva, seu carinho, energia vital!
Mas se não for para isso, então não abrace, apenas aperte a mão, dê um leve sorriso e se vá!
Abraços gêmeos são raros, mas existem e, se você já experimentou um destes, pode se considerar uma alma privilegiada.
Um forte abraço meu para você que leu este texto!

Lorena Fontoura

Coach e coautora das obras de Gestão Pessoal da Editora Pragmatha

O que você faria numa fração de segundos?


O que é um instante? Segundo o dicionário, é algo que está prestes a acontecer, iminente, acontecimento rápido, passageiro, espaço de segundo.
Mas prefiro refletir sobre um espaço de segundo.
O que podemos fazer com um “espaço de segundo”? Nada? Ou tudo?
Tomar uma decisão, desviar de um buraco na calçada, gritar “te odeio” em meio à briga, derrubar nosso perfume preferido, fechar a janela do quarto para não chover sobre nossa cama, cortar o dedo indicador direito. Enfim, muitas atitudes e ações podem ser realizadas em um espaço de segundo.
Um espaço de segundo, define minutos, horas, dias, anos e até uma vida inteira!
Estamos constantemente decidindo nosso destino em espaços de segundo; desde ainda no ventre de nossa mãe, nós decidimos a grande hora! Se vamos levantar ou não da cama, se vamos fazer nossa higiene, que vestimenta usaremos? (atitude de segundo que pode te deixar o dia todo sentindo frio ou calor).
Utilize seu espaço de segundo, mas não despreze seus minutos, horas posteriores, aqueles que decidimos não colocarmos o cinto de segurança e logo após vem a fatalidade ou aquele instante em que você decide seguir seus instintos animais e minutos depois sua ou seu cônjuge lhe flagra em pleno adultério (normalmente segue-se aí uma separação e muita tristeza familiar).
Não sejamos tão pessimistas, temos instantes de decidirmos falar a palavra certa na entrevista de emprego e horas depois somos chamados para a vaga, ou aquele instante em que você reúne todas as suas forças que nem mais acredita existir e vence a tão sonhada maratona, o espaço de segundo do “sim” frente ao padre no altar.
Somos movidos por espaços de segundos. Você pode até contar seu dia pelas horas que o completam, mas suas decisões e seu destino estão amarrados pela linha tênue do instante.
Alguns fios de instantes passam por nós desapercebidos, enquanto outros morrem conosco, ou grudam em nosso pescoço sufocando-nos de tanto em tanto (para lembrar sempre o que você fez daquele instante). Infelizmente (ou não) costumamos lembrar dos nós que sufocam, pois são com eles que aprendemos as maiores lições para vida (aproveitem este nó como laço positivo de ensinamento).
Já os laços mais lindos e soltos, de decisões felizes e assertivas, nos servem para alimentar nosso eu para seguirmos confiantes e com autoestima elevada, na certeza de que cada espaço de segundo será melhor do que o segundo passado e assim sucessivamente por toda nossa vida.
Vale lembrar que os espaços de segundos não voltam, mas você pode e tem o livre arbítrio de ao longo do tempo ir alterando, ressignificando estes nós, tornando-os laços leves e soltos para seu bem viver. Como profissional coach, com formação em programação neurolinguística, costumo trabalhar estes nós sufocantes com meus clientes, com resultados muito favoráveis.
Pensar antes de cada segundo de instante sobre suas decisões o deixará ao longo da vida com mais laços que nós, pois lembre-se que o instante é seu, as consequências são dos seus!

Lorena Fontoura
Coach e Coautora dos livros de Gestão Pessoal da Editora Pragmatha

O que realmente é o processo de coaching?


Ouve-se muito falar sobre Coaching: “Contrate um Coach e tenha sucesso garantido”, “Potencialize-se fazendo Coaching”.
Nos dias atuais as mídias e redes sociais estão falando muito sobre o assunto, mas você sabe realmente qual a proposta deste processo ou quando você deve utilizar-se dele? Coach é o profissional da área e coachee é o seu cliente (você), enquanto coaching é o processo em si.
Antes de falar sobre o processo, deve ficar claro que coaching não é terapia, pois não se trabalha com problemas do seu passado (há profissionais especializados para tais fins, como psicólogos e psiquiatras). Também coaches não são treinadores, como a tradução da palavra nos dá.
Coaching é um processo com início meio e fim, onde exerce-se uma relação de confiança com o coachee. Trabalhamos como facilitadores no desenvolvimento do autoconhecimento do nosso cliente, estimulando e potencializando suas habilidades capacidades e competências para atingir seu objetivo.
É um processo de reflexão e interiorização, pois durante as sessões (que variam de oito a dez), e de comum acordo, serão traçadas metas alcançáveis e planos de ação para semana, todas direcionadas ao objetivo final.
O profissional utiliza-se de inúmeras técnicas e ferramentas, entre elas, as “perguntas poderosas”, que na verdade são perguntas comuns, curtas e simples, porém que contam com as competências deste profissional em formulá-las assertivamente no momento oportuno, somando habilidade de uma escuta ativa e seu conhecimento da essência humana.
Coachs, como no meu caso, em Formação em PNL (Programação Neuroliguística), dispõem de mais recursos e técnicas para utilizar durante o processo. Também podemos ressignificar crenças limitantes e fazer uso da hipnose se necessário for.
O processo de Coaching envolve etapas, bem como nosso coachee:
Processo / Coachee
1 – Conversa, conhecimento e aprovação / Vontade
2 – Seleciona dados, agregar significado / Identificação
3 – Identifica Crenças limitantes / Conscientização
4 – Faz suposições sobre itens anteriores / Capacidade e garra
5 – Chega à conclusão / Dedicação
6 – Toma decisão / Persistência
7 – Divide metas atingíveis / Disciplina
8 – Empreende a ação / Superação
9 – Atinge objetivo desejado / Vitória

Perceba que o caminho é trilhado pelo coachee, cabe ao profissional acompanhar seu avanço no processo, que foi previamente acordado entre ambos nas sessões. Cabe a nós, coachs, maximizar o desempenho para que nosso cliente liberte seu potencial e autoestima, provocando uma onda motivacional constante no processo.

– Você está sendo promovido, mas sente-se inseguro de corresponder às expectativas? O coach ajudará você a resgatar a sua autoestima e pontencializar suas habilidades, ressignificando suas crenças limitantes.

– Você tem como objetivo falar em público, mas é tímido e tem medo (todos nós temos)? O coach, com suas técnicas e ferramentas, irá ajudá-lo a superar suas limitações. Se quiser, poderá chegar a ser um palestrante;

– Você que está em um cargo de liderança, mas teme não ser bem-sucedido e aceito pelos liderados? O coach, com formação em PNL, saberá maximizar teu potencial para uma liderança de sucesso, com empatia entre outras habilidades.

Você se sente meio perdido no caminho, na profissão ou nos estudos? O coach saberá facilitar seu desenvolvimento na busca do autoconhecimento.

Você já passou dos 50 anos ou está aposentado e sem perspectiva de futuro a curto prazo? O coach com suas técnicas e PNL o ajudarão a resgatar sua autoestima e motivação para novos prazeres.

Existem muitas especialidades no mercado relacionadas ao coaching. Mencionei as que trabalho, mas há coaching para emagrecimento, para finanças, para executivos etc. Agende uma sessão (costumo fazer a primeira gratuitamente), e juntos iremos identificar qual especialidade você está necessitando neste momento e siga em frente, porque o futuro é belo e brilhante para aqueles que se desenvolveram como seres mais humanos de bem e valor!

Lorena Fontoura
Coach e Coautora das obras de Gestão Pessoal da Editora Pragmatha

Aceito ou compreendido, você sabe a diferença?


Ser amado todos nós desejamos e sabemos exatamente (ou quase) o que é amor, mas você sabe o que significa efetivamente ser aceito? Conhece a diferença entre ser aceito e ser compreendido? Vamos à nossa reflexão de hoje.
Você consegue ser aceito, mas pode não ser compreendido, pois aceitar é consentir algo ou alguém de maneira voluntária e sem oposição.
Antes de querer ser aceito, lhe pergunto: você se aceita como é? Se você sabe conviver com seus erros do passado, fazendo deles aprendizado para o presente, encara o futuro com oportunidade de crescimento e felicidade. Então sua resposta é afirmativa, você se aceita como é.
E o outro, você aceita? Se não tolera erros e equívocos, sem enxergar o bem dos comportamentos ou ações, sua resposta é “não”! Prefiro acreditar que você respondeu “sim”.
Aceitarmos o próximo, é quando nos sentimos à vontade ao seu lado, quando e reconhecemos como semelhante e queremos dividir com ele o universo, quando reconhecemos sua existência humana.
Aceitar é difícil, no entanto é ainda de longe mail fácil que a compreensão. Para você compreender o outro é preciso mergulhar no universo da pessoa, requer uma análise, reflexão na busca em saber quais razões, motivos, medos, alegrias, dúvidas, frustrações que o tornaram tão humano quanto você.
A compreensão é uma imersão maior na individualidade do outro, exige um profundo senso de humanidade e compaixão. Portanto, ser compreendido está muito além de ser aceito. Enquanto a aceitação reconhece a condição humana, a compreensão reconhece alguém como Ser humano, mas também as razões, motivos, medos, alegrias, dúvidas, frustrações que o tornam humano igual a você.
Para compreender o outro, antes é necessário que você se aceite e se compreende, em outras palavras, que você tenha um grau elevado de autoconhecimento, de desenvolvimento humano e inteligência emocional ampliada, reconhecer sua missão de vida, antes de buscar compreender o outro.
Os processos de coaching facilitam sua compreensão de si, com ferramentas e técnicas específicas que impulsionam para o autodesenvolvimento, autoconhecimento e amplia sua inteligência emocional consideravelmente.
Como coach, sonho com o dia em que nossos sucessores aprendam nas escolas a trabalhar, identificar e controlar suas emoções, ampliando o autoconhecimento para olhar com olhos de bondade, carinho e amor ou próximo!
E então vocês devem estar se perguntando: mas e quanto ao amor?
O amor aceita, compreende e ainda examina semelhanças, diferenças, busca admiração, identifica a química da atração. São frações de segundos que faz você querer estar perto daquela pessoa ou seu animal de estimação, até mesmo aquele beija-flor que todas as manhãs vem nas flores do seu jardim.
O amor é uma emoção sublime à compreensão humana, pois é divino. Existem muitas formas de amor, e todas valem a pena.
A emoção amor, está conosco a todo instante, e de todas as maneiras.

Lorena Fontoura
Coach, coautora das obras de Gestão Pessoal da Editora Pragmatha