Você lida bem com as incertezas?

Sandra Veroneze
sandra.veroneze@saber-se.com

Quem nunca ficou inseguro e titubeou diante de um novo desafio? Quem nunca foi pego de surpresa com alguma questão existencial e viveu seus piores dias até a situação se definir? Quem nunca, diante de uma proposta, teve dúvida e por ela por algum tempo se sentiu consumido?

Lidar com a incerteza é um desafio não dos tempos contemporâneos, mas da existência humana. É natural e compreensível aquela sensação de instabilidade quando se deixa uma situação para assumir outra, mesmo que seja melhor, que seja favorável. São exemplos disso um novo trabalho, um novo relacionamento, um novo lugar para morar.

Lidar bem com a incerteza é fator de inteligência existencial e quem diz isso é Leonardo da Vinci. Mais conhecido por suas obras de arte, o artista renascentista foi também cientista e era tido como gênio, por desenvolver acima da média inúmeras habilidades. Uma de suas teorias era do Sfumato, que em suas obras ficou evidenciada no padrão com linhas e contornos pouco definidos, que é responsável, por exemplo, pela aura de mistério que envolve sua obra mais famosa, Monalisa.

Sfumato, em tradução literal, significa esfumaçado e, conforme os ‘princípios vincianos’, refere-se a aceitar a ambiguidade, o paradoxo e a incerteza como elementos da vida, especialmente em tempos de mudanças muito rápidas, onde admite-se um sem número de graduações entre o branco e o preto, entre o oito e o oitenta.

Para a psicóloga Cybelle Olivier de Araújo, a ideia de certeza é uma ficção. “É uma história que gostamos de contar para nós mesmos, para nos ajudar a nortear nossos caminhos, como um farol no meio da tempestade, que nos traz à segurança da terra firme”. (Veja aqui reflexão completa).

Para Julia Lainetti, também psicóloga, é uma das características mais marcantes do ser humano a busca pela segurança, pelo controle das situações, porém isso sempre foi e continuará sendo quase impossível de se conseguir. “Como já diz o slogan da rádio: “em 20 minutos, tudo pode mudar”. (Veja reflexão completa aqui).

A psicóloga Marcia Rampani, por outro lado, convida a olhar para a incerteza por outro viés. “Devemos aprender a utilizá-la como nossa aliada, pois é através dela que nos damos o direito de avaliar a cada minuto o nosso futuro. Por conta de nossas incertezas que conseguimos acreditar na “outra possibilidade”. (Veja reflexão completa aqui).

A psicóloga Fabiane Ogueto Gaspar complementa e garante: “ A saúde física e mental “tolera” as incertezas, porém cada dia que passa se tem mais pessoas doentes. Isso retrata a dificuldade em viver um dia após o outro e se focar no presente”. (Veja reflexão completa aqui).

Para o psicólogo Cláudio de Souza Alves, a “boa incerteza” pode nos revigorar, nos ajudar a fazer planos, a sonhar com coisas novas, a viver uma grande emoção. Como deve ser aventurar-se em algo novo e que não temos certeza do resultado final ou não nos importarmos com ele, mas vivenciarmos prazer da experiência quando o risco é consciente e nos vale a pena? (Veja reflexão completa aqui).

Como você lida com a incerteza?

Para muitas pessoas, a incerteza e a ambiguidade trazem enorme desconforto. Chegam até mesmo a manifestá-la no físico, desenvolvendo problemas psicossomáticos. Para outras pessoas, incerteza significa ansiedade, com todos os desdobramentos comportamentais correspondentes. Algumas pessoas ainda encaram os períodos de transição como estimulantes, uma vez que sofrem muito com o tédio que pode representar uma vida com todos seus elementos devidamente assentados.

O músico Alex Quântico recentemente enfrentou uma grande situação de incerteza: mudar-se de país. “Procurei construir uma visão clara do que eu queria e encontrei coragem para trabalhar na realização deste feito que hoje é uma realidade”. (Veja mais aqui).

O vereador e administrador de empresas Rodrigo Massulo desenvolveu uma fórmula para enfrentar as incertezas: ‘se estou em dúvida, não faço’. (Veja mais aqui).

Para o colecionador e escritor Darlan Padilha, conhecido nos círculos literários como Dimytryius, para sermos senhores de nossos destinos é preciso ter a certeza de que nada é certo ou de conhecimento pleno de um único ser. (Veja mais aqui).

Paulo Rocha, que trabalha com captação, comercialização e produção de eventos, ao pensar na incerteza considera diversas metodologias para lidar com ela, mas não descarta a possibilidade de apenas conviver com ela, tocando a vida. (veja mais aqui).

Você aplica o Sfumato em sua vida? Acesse e faça o teste

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *