Você sofre da Síndrome da Supervalorização do Difícil?

Sandra Veroneze
sandra.veroneze@saber-se.com

Se é fácil não tem graça, reza um velho ditado popular. Vale para uma conquista amorosa, vale para um desafio no trabalho, vale para a aquisição de um bem e para inúmeras outras situações da vida, desde as mais simples até as mais complexas e sofisticadas.

Se o sol não faz força para nascer todos os dias, se a grama não acelera seu ritmo natural para crescer, se a fruta segue rigorosamente o ciclo das estações para surgir e amadurecer, por que nós, humanos, temos essa obsessão pelo difícil?

Outro dia ouvi que repousa sobre nossa consciência uma histórica culpa judaico-cristã, expressa naquele trecho bíblico em que o homem é expulso do paraíso e de todas as suas facilidades para viver pela força do seu trabalho e suor do seu rosto, porque pecou.

Também já ouvi dizer que o difícil é supervalorizado como uma forma de conferir valor à trajetória… Grandes desafios levariam a grandes conquistas… Quanto mais esforço empreendido, mais talentos desenvolvidos, mais habilidade necessária… Enfim, quanto mais difícil, mais eu mostro o quanto sou competente, capaz etc…

Teorias à parte, às vezes mais importante do que entender as causas é refletir sobre as consequências. O que esse comportamento tem trazido de bom e durável em nossas vidas? Será que o tanto de stress, cansaço, tédio, falta de um amplo e real sentido para a existência teriam alguma relação com a supervalorização do difícil?

Será que não é chegada a hora de aceitar que a vida também é feita de facilidades e aprender a degustá-las? Para refletir sobre esse assunto, convidamos diversos especialistas. Confira:

A ideia de que o que é mais difícil de alcançar tem mais valor é cultural e reforçada pela própria mídia em filmes, campanhas publicitárias. Perceba o quanto nos identificamos e nos emocionamos mais com pessoas que alcançam objetivos e, consequentemente, sucesso e notoriedade com seu próprio esforço, principalmente em histórias de superação. Regiane Vivone Caetano, psicóloga. Leia o artigo completo aqui.

 

O que nos deixa tão fragilizados diante de alguns obstáculos, que os enxergamos maiores do que realmente são? Que força poderosa nos invade, transformando algo que com investimento e foco conseguiremos enfrentar, mas na nossa cabeça colocamos como impossível? Maria do Carmo Chagas, psicóloga e pedagoga. Leia o artigo completo aqui

 

Quanto maior o esforço necessário para chegar a algum objetivo, menos provável é que a gente se mantenha na busca por esse objetivo. Isso porque nosso comportamento é mais influenciado pelas consequências imediatas (por exemplo, a decisão de comer um doce que está à mão agora ou usá-lo como prêmio por alcançarmos algum março importante da vida – é mais fácil comer o doce agora). Gabriella Mezzacapa, psicóloga. Leia o artigo completo aqui

 

Por que esta supervalorização tem que ser assim? Na verdade, ela não tem que ser assim. Por Carlos Augusto Gonçalves Muramoto, psicólogo e psicanalista. Para ler o artigo completo, clique aqui

 

Neste mundo de tempos líquidos, a vida escorre pelas mãos, escapa por entre os dedos, como a água que precisa seguir seu curso, por isto, procure se observar e se cuidar destes males do mundo moderno, o que é bom, pode vir fácil. Se veio fácil, é porque somos merecedores. Simples assim… Cassia Corsatto, coaching executiva e empresarial. Para ler o artigo completo, clique aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *