Mudanças x zona de conforto

[fb_button]

Ponto de virada me sugere a palavra “mudança”, e quem disse que é fácil? E quem disse que é tão, tão difícil, que mesmo que no momento cause um sofrimento? Dependendo da intensidade, nos faz ver a vida de outra forma e a principal questão a ser trabalhada é a forma de lidar com a mudança, pois ela acontece muitas vezes na vida e a forma como eu lido com ela faz toda a diferença. Procuro fazer algo bom disso ou fico estagnado no meu próprio ponto de vista? Depende de cada um.

Temos força suficiente para lidar com cada uma delas, mas precisamos nos dar conta de que temos bagagem suficiente para enfrentá-la.

Na verdade, para aproveitar a vida de uma forma plena, é preciso arriscar-se para a concretização dos objetivos e a nossa “zona de conforto” (aquele lugarzinho tranquilo, onde nos encontramos acomodados) nos parece o caminho ideal… Para mudar, é preciso atravessar um “grande deserto”, onde tudo parece muito difícil, mas basta atravessá-lo para chegar ao tão esperado “oásis” existencial.

Na verdade, o grande problema é desanimar diante desse deserto, olhar para a longa distância e não conseguir enxergar nada além do vazio que está a nossa frente, sem perceber que logo ali tem algo bom nos aguardando. Ao perder o foco no que se quer, o caminho começa a ficar mais difícil e ao olhar esse mesmo deserto sem nenhum propósito, com certeza, realmente o caminho será mais longo.

Fabiana V. de Mello Vieira, psicóloga

Pontos de virada: Quando a única alternativa é seguir em frente. Leia mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *