Conhecimento…

 

Conhecimento não é algo que se adquire da noite para o dia, exige esforço e dedicação. Geralmente as pessoas não se questionam sobre o intuito de fazer uma formação x ou y, fazem ou por que acreditam ser indispensável para suas vidas como a “necessidade” criada pelo senso comum sobre ter uma formação superior, ou porque ter a pós-graduação vai “abrir portas” no mercado, entre outros fatores. Entretanto, cabe pensar, o que de fato tal decisão acarretará na vida e se tal decisão é a que realmente se almeja como meta de vida.

Pode-se, por exemplo, gostar e fazer inúmeras formações em áreas diversificadas de conhecimento, mas investir tempo e dinheiro no que é totalmente incerto e que não dará retorno nenhum, parece uma escolha baseada em paixões, de forma indecisa: que vem e que passa ao sabor do vento. Normalmente, esse perfil de profissional não chega a concluir os cursos que inicia, e tudo que faz deixa-o insatisfeito. A insatisfação recorrente gera ansiedade e esta por sua vez, transforma-se em adoecimento.

Também há o profissional que busca inúmeras formações a fim de melhorar seu perfil profissional abrangendo de forma mais eficaz sua busca mercadológica. Nesse caso, o critério é não perder-se no foco e na meta que quer atingir. Existe, de outro modo, o profissional que não busca conhecimento algum e que acredita que somente a formação que recebeu no seu ensino médio, graduação ou pós-graduação será suficiente para atender às demandas de trabalho, nesse quesito. Ele possui uma tendência forte de fadar ao fracasso, visto as alterações frequentes do cenário empresarial.

Portanto, busque potencializar o seu melhor, e verificar quais ações e decisões vão gerar o resultado que tanto se busca, o sonho, a meta.

Juliana Soares Borba – Coach e Coatuora das obras de Gestão Pessoal Pragmatha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *