Buscamos o Autogoverno

Somos duais, polarizados e naturalmente guiados pelo senso de opostos nem sempre complementares. Para apreciar o salgado, precisamos conhecer o doce. Para se encantar com a noite e suas estrelas, precisamos do contraponto do dia. A beleza do sol mostra todo seu esplendor na relativa comparação com um charmoso dia de chuva. As delícias de uma vida adulta estão diretamente relacionadas às carências da infância e terceira idade – e vice-versa.

Gostaríamos muito de sermos ‘seres de luz’, porém é inegável a presença e força das sombras em cada um de nós. Ela se manifesta nos mínimos detalhes, através daqueles impulsos e inclinações da personalidade nem sempre bem-intencionados. Certa vez um sábio disse que erramos por ignorância e por maldade, e que felizmente na absoluta maioria dos casos é por força do primeiro motivo.

Cabe aqui o esforço de não apenas aprender com nosso lado obscuro, mas também governá-lo. Identificou alguma fragilidade? Vale o esforço de não se deixar governar por ela. Aplica-se nas coisas simples da vida: aquela vontade de comer um doce a mais (proibido pelo médico), a preguiça de acordar no horário todo dia, aquela vontade de desfilar suas conquistas diante daqueles que torciam contra ou não acreditavam no seu potencial… A lista é infindável…

Buscar o Autogoverno de impulsos e inclinações de nossa personalidade. Topa o desafio?

Sandra Veroneze | Saber-se

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *