E você, permite-se exercer seu ócio criativo?

[fb_button]

Por que será que é difícil aceitar o que Kalina Christoff publicou na revista científica americana Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), de que o cérebro está bem mais ativo durante o devaneio do que se imaginava? A pesquisa comparou esse estado a um momento de raciocínio lógico. Ou seja, mesmo num ritmo menos acelerado, o cérebro está criando. Isso significa que distração e a diversão não são coisas de gente preguiçosa ou folgada. É também um caminho para ter boas ideias, manter a saúde e resolver problemas. Percebo que cada vez mais as pessoas vivenciam uma rotina automática. Não buscam um equilíbrio entre a agitação do dia a dia e horas de serenidade e até de devaneio. Para a psicanálise, o devaneio durante o dia ou os sonhos durante a noite podem trazer traços do nosso inconsciente, revelando desejos. Após uma interpretação desses traços muito pode ser revelado sobre o sujeito do sonho.
Cada ser humano, por meio do ócio criativo, poderá ter a chance de aproximar-se de sua subjetividade e ter muito mais qualidade de vida. A partir do momento em que a escolha é por sair da rotina de fazer o que todos fazem e buscar a criatividade e os diferenciais de cada ser humano, a pessoa possui a chance de evoluir emocionalmente. E você, permite-se exercer seu ócio criativo? Priscila Junqueira – Psicóloga e Sexóloga

Ócio sem culpa. Leia mais aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *